Ame Bonito

+ Ver comentários
"(...)
Há uma tendência de combrar; exigir; rotinizar; descuidar; reclamar; deixar de compreender; necessitar mais do que é oferecido; precisar mais do que atender; encher-se de razões. Sim, razões. Ter razão é o maior perigo no amor. Quem tem razão se sente no direito (e o tem) de reivindicar, de exigir justiça, eqüidade, equiparação, sem atinar que o que está sem razão talvez passe por um momento de sua vida no qual não possa ter razão. Nem queira. Amar bonito é saber a hora de ter razão.

Ponha a mão na consciência. Você tem certeza que está fazendo o seu amor bonito? De que está tirando do gesto, da ação, da reação, do olhar, da saudade, da alegria do encontro, da dor do desencontro, a maior beleza possível? Cheio ou cheia de razões, você espera do amor apenas aquilo que é exigido por suas partes necessitadas quase talvez dele devesse pouco esperar, para valorizar melhor tudo de bom que de vez em quando ele pode trazer. Quem espera mais do que isso sofre e, sofrendo, deixa de amar bonito. Sofrendo, deixa de ser alegre, igual, irmão, criança. E sem soltar a criança, nenhum amor é bonito.

Não tema o romantismo (...)

Seja apenas você no auge da sua emoção e carência, exatamente aquele você que a vida impede de ser. Seja você cantando desafinado, mas todas as manhãs. Gaguejando flores. Sentindo o coração bater. Sem medo de dizer eu quero, eu gosto, eu estou com vonta

Não teorize o amor, apenas ame.

Siga o destino dos sentimentos aqui e agora.

Não tenha medo exatamente de tudo que você teme em um relacionamento (...)

Se o amor existe, seu conteúdo já é manifesto. Não se preocupe com ele e suas definições. Cuide da forma. Cuide da voz. Cuide da fala. Cuide do cuidado. Cuido do carinho. Cuide de você. Ame-se o suficiente para ser capaz de gostar do amor e, só assim, poder fazer o outro feliz."