Judgment at Nuremberg

+ Ver comentários

Pela primeira vez assisti o filme sobre o Julgamento de Nuremberg por completo. É um filme impressionante, incrivelmente bom na maneira que aborda os acontecimentos sob as várias perspectivas. Acabei de descobrir que existia uma versão mais recente do filme, de 2000, mas recomendo sim a de 1961, assisti essa antiga, garanto que é muito boa. ;)

Certamente julgar é algo muito difícil. Extremamente difícil para nós - meros seres humanos - que, em muitas das vezes, não temos moral suficiente para fazer jus a uma concepção sobre o outro quanto menos a estabilidade psicológica para conseguirmos fazer isso. Sinceramente, não sei qual é o grande fundamento da maioria das pessoas, principalmente as que vejo pelo curso de Direito*, almejar serem futuros juízes. Sei que para mim, independente de salário e de reconhecimento profissional, o dinheiro não vale. O peso na consciência, o peso crucial da sua decisão na vida de outro indivíduo e o desgaste emocional que é relacionado com todos esses fatores, precisa ser ponderado.

Mas sei que precisamos de juízes que, de uma maneira mágica (praticamente :P) consigam contornar as faltas do sistema e as superem pelo caminho da justiça, que sejam conscientes e tenham os valores fundamentais no coração para guiar suas ações e assim, efetivamente construírem e contribuírem para uma nova realidade.

E, por exemplo, para abrir uma exceção no caso acima das pessoas do Direito, tenho uma amiga que tem essa paixão no coração e isso que é bonito e necessário para o ramo.

Portanto, reconheço com muito vigor que precisamos sim de pessoas adequadas que assumam essa posição com qualidade e que tenham noção da tamanha responsabilidade que exercem para a sociedade. Não só juízes, mas todo o ser humano precisa ter dimensão dos seus atos.

(Uma pequena observação: Pior do que qualquer pena, é a rígida palavra que vai ficar na mente do culpado até o resto de seus dias...)

E, além de tudo que já é citado pelo juiz acima, acho que tal ação vale como um exemplo de Justiça. Não só pelo ato em si, mas pelo caráter de estabelecer firmemente que o Direito não pode esquecer de suas obrigações principais que transcendem a norma jurídica e que as autoridades normativas precisam ter isso em mente. Por mais que eu compreenda o outro lado da visão que é apresentada no filme, uma absolvição da pena de muitos pelo argumento da omissão (de simplesmente cumprirem seu dever e não terem nenhum crivo avaliativo sobre a realidade e tendo uma atitude conivente com esta) ou pela alegação sobre a ilusão de que cumpriam seu dever de acordo com o institucionalizado e que este seria para o progresso geral, entretanto, nós somos quem fazemos a instituição, nós somos quem constituímos o progresso, e por isso a posição passiva não pode ser aceitável.

Há mais uma reflexão bastante interessante que aborda o fato de que mesmo se você não estivesse trabalhando para o ideal do correto e do bem, o seu trabalho poderia ser essencial para conter e ajudar que aquela realidade não seja pior, utilizando sabe-se lá quais meios para a superação do dilema entre o que é imposto e os princípios que devem ser valorizados (e não estou nem sugerindo uma ideia de rebelião ao sistema ou revolta total como Tarantino faz de maneira fabulosa em Inglourious Basterds :D) do que a simples alienação.

Um ponto relevante de se analisar também é de como ideal de justiça é distorcido para todos, mas devemos sempre prezar a tentativa de alcançar o mais próximo do justo.

Por fim, isso me remete a uma frase em que "um mundo melhor é muito relativo. Devemos sim trabalhar para um mundo bom, para ser suficiente, no mínimo".
E algo que acho muito bonito em ouvir - e fico muito feliz - quando encontro alguém me dizendo (pessoas que já tinham uma vida profissional formada e que decidiram abdicar disso) que faz Direito porque quer ser um agente social, fazer a diferença para sociedade e ajudar a construir uma realidade positiva.

A beleza das cores

+ Ver comentários

Um dos meus grandes prazeres de pintar e fazer arte é justamente poder brincar com as cores e ver a preciosidade delas.

Como em um mundo tão complexo de cores podemos separá-las e escolher uma única preferida? A composição e a união delas que torna o mundo tão bonito e vivo, e ainda sim, com uma harmonia singular.


Sendo assim, como poder ter uma cor predileta e menosprezar as outras? E mais, como montar pirâmides hierárquicas de cores, quase de forma subjetiva e aleatória, e a partir disso avaliar seu perfil psicológico? Hmmm... Caso queiram tentar: Teste das Cores. Não deixa de ser algo interessante e legal, mas entra no mesmo patamar de se avaliar um perfil de personalidade por meio da astrologia, não? :P

Relacionado a cores, as luzes do natal começam a serem acesas e as noites tornam-se mais lindas! E, remetendo-me a um evento que prestigia e valoriza essa beleza das cores e o que as luzes podem reproduzir, cito aqui o Berlin Festival of Lights, um dia pretendo presenciar isso. ;)

Oportunidades

+ Ver comentários

Clichê, mas "a vida é uma caixinha de surpresas". A cada instante há algo de novo para te surpreender e mudar o rumo das coisas, e aí, as escolhas dependem de você. Só não podemos menosprezar as diversas oportunidades que surgem e que podem prosperar se dermos valor. ;)

Alguma nostalgia

+ Ver comentários

Acho interessante quando temos um tempo para refletir sobre o rumo que nossas vidas seguem e o que um dia elas foram e planejaram ser. A mim, só são boas lembranças, na verdade porque acho que tenho a política mental de ressaltar o que é bom e relevar os pesares, apenas extraindo uma lição deles, aprendendo e crescendo mais - e aí, eles já não são mais pesares tão negativos.

Algumas coisas são saudades boas de determinada situação e o sentimento que estão unidos a esta recordação.

"Fisicamente, habitamos um espaço, mas, sentimentalmente, somos habitados por uma memória."
José Saramago

Fico imaginando o dia onde irei juntar essas situações e histórias (!!!) de minha vida, escrevendo um livro em minha aposentadoria, uma retrospectiva de como minha vida foi tão boa e dos sentimentos que são suscitados. Gostaria de ver como será analisar tudo isso através de uma perspectiva com mais sabedoria e experiência.

Engraçado é que ultimamente ando tendo sonhos de momentos passados onde reporto essas situações ao presente e dou uma conclusão a elas. Muito bom ;)

Mas, independente de lembrar dos momentos passados, importante mesmo é viver um feliz presente e estar contente com isso. ;)

Piano

+ Ver comentários

Olha, eu realmente acho que seria uma pessoa muito bem realizada com um Steinway desses...

Minha paixão pelo piano é de como ele me envolve. Pelo bem ou pelo mal, toco para mim, pela graça que significa dançar com meus dedos sobre ele. No entanto, continua sendo um desafio trabalhar a minha tensão e transpassar serenidade enquanto toco para os outros, o que é muito complicado para mim. Mas, desafios existem para serem superados :)

Já fui além das minhas expectativas com minha melhora substancial na leitura, em olhar uma partitura e fazer a música fluir. Na verdade, essa melhora ocorreu por justamente se desafiar com partituras ainda mais difíceis (com apenas uma pauta para dividir as mãos) ou com três, quatro, cinco pautas - onde é necessário ter uma outra dimensão de como ornamentar a música. Assim, as pautas ditas 'simples', em comparação, parecem muito fáceis. O mais curioso no piano é esse elemento de conhecer o complicado e ter noção do que é tranquilo. E o caminho de aprimoramento técnico faz você ter uma outra visão mesmo sobre o que é "tranquilo" (que acaba se tornando complicadinho também, dando a devida atenção a todos os fatores que deixam uma música no seu ponto ideal). ;P

Também gosto de ter desenvolvido uma concepção mais ampla e que abranja mais horizontes, fazendo uma união entre eles e tendo um conhecimento mais próximo do completo, compreendo as razões e os motivos das estruturas, bem como descobrir como tudo é tão perfeitamente arrumado para uma música ser maravilhosa. Isso é incrível, incrível!

E quando você se desprende do formal, 'tocar de cor' - livre, leve e solto - é o que há de mais interessante... ;)

Fico muito feliz em cada dia descobrir mais, aprender mais e realizar o conhecimento. Todavia, o piano é um caminho infinito... Sempre há tanto para se aprimorar e tentar chegar perto da perfeição de uma música e a harmonia de seu som... Por isso digo que hei de morrer tocando piano, ele estando presente até o fim dos meus dias! :)

Dizem que a tua alma é de aço, e realmente é,
Nem por isso sua singeleza é comprometida.
Mas quando queres ser enérgico, agressivo ou mesmo explosivo,
Posso sentir o tremor do teu impero a distancia.
Como pode sussurrar melodias tão doces ao ponto do pranto me levar?
Sentar-se a seu lado é privilégio para poucos, merece respeito,
Só os melhores e mais estudiosos tem esse prazer.
Eu poderia ficar horas só a te observar,
Mas prefiro extrair de ti o que tens de melhor.
Ah! Como é bom poder tocar teu corpo,
Sentir tuas vibrações em minhas mãos,
Perceber o belíssimo timbre da tua voz massagear meus ouvidos.
Oh! Me faz sonhar! Fazei-me viajar,
Leva-me a outros mundos através das obras dos mestres,
Aqueles mesmos mestres que renderam-se ao teu poder,
O poder de encantar e gracejar a todos,
Todos que de ouvidos abertos deixaram tua musica penetrar.
Homens como Mozart dedicaram suas vidas a você,
Mas eu sou apenas um aprendiz, um admirador,
O que posso fazer, é juntar-me a ti
Para que vós, através da tua magnitude
Embeleze minhas humildes inspirações,
Transformando-as em belas canções,
Para que o meu amor possa ouvir.
(...)
E esta noite, tocarás para as estrelas
Esta noite, tocarás para o vento
Tudo porque elas são belas
E por este simples momento.

1001 sessões de fisioterapia durante minha vida

+ Ver comentários

Eu quero joelhos novos de natal! Quero andar de patins, papai noel :(
Esses aqui já não aguentam mais. Eles já foram muito remendados, um já foi para a mesa cirúrgica, passaram por muita fisioterapia... Mas continua sendo inerente a eles dar problema.
Para variar, quando estou me empolgando na minha rotina de academia, lá vem eles reclamando... E aí, mais fisioterapia, mais gelo constante... E todo o processo de reabilitação de novo. É tranquilo, mas ao mesmo tempo, cansa... e eu não estava morrendo de saudades do Pilates, mas acho que depois de tanta fisioterapia, estarei!
Mas tenho fé nos meus joelhos de que um dia eles ainda vão ser aptos a realizar meu sonho que é patinar no gelo. A esperança sempre existe, enquanto isso, vou tentando evitar que eles arrumem mais problemas (não é minha culpa.. ;( - problemas de fabricação, isso sim :P)
Mas... como ainda não inventaram um milagre para eles, preciso de suportar as mil e uma sessões de fisioterapia ao longo da minha vida...

Cirurgia de Mandíbula (2)

+ Ver comentários

Em retorno à primeira postagem falando da cirurgia de mandíbula, hoje, com alguma satisfação posso dizer que sim, deu tudo certo (a mandíbula já está em seu devido lugar e a mordida fechada) apesar do sofrimento. Agora é só esperar o término do tratamento e ter fé que seja estável e perpétuo, valendo a pena, então. Na verdade, só de se comparar o antes/depois já é algo significativo. Em breve espero poder colocar várias fotos do meu lindo sorriso aqui.

E quanto ao procedimento de amanhã em si, é a retirada dos pinos (citados anteriormente), algo que eu já não via a hora! Deve ser menos sofrido do que colocá-los, certo? E meu organismo estará feliz em despedir-se deles! ;D
Sendo assim, estou até tranquila... Espero que seja tudo simples e fácil mesmo.

E uns dias de molho não fazem mal... ;)

ps. Imaginem quando minha mandíbula e a respectiva mordida estiverem 100% no final do tratamento? - espero que seja logo logo ;D

Descrição contemporânea dos relacionamentos

+ Ver comentários
Eis aqui uma boa descrição, decorrente de análises sobre Mad Men, que consegue abordar uma concepção muito interessante sobre as pessoas e seus relacionamentos, em sua maioria.

"But I want to be a ladies man like Don Draper. Back then it was easier, because affairs were more acceptable."

No they weren't. Leaving aside morality, cheating on your wife means that you haven't fully connected to her, or have lost some of that connection. You don't have to be Don Draper to pull that off. "Well, I want to be as suave as he is, I want to pick up girls like he can." It's the same disconnectedness. You could do it, too, then you'll lose the ability to be deeply connected to someone. You can't do both simultaneously.

Consider a guy in 2009 who says he can't meet women in bars. The biggest mistake guys make when trying to meet women is being overzealous, overinvested. They are unable to differentiate a one-night-stand from a full relationship. They approach both in the same way. When you're trying to get laid, you can't be trying to show her your soul, and you can't be trying to see hers. It has to be light, fun. The "pick-up tricks" work because they delay the guy from dropping all 52 of his cards in her lap and saying, "see?!"

This is why many men who actually get what they think they wanted are still unsatisfied. They meet a hot girl and it turns into a relationship, and they're upset they can't get one night stands. But if they got a one night stand, they'd be upset they couldn't convert it to a relationship (and of course it would be her fault for being a slut, not knowing what she wants, etc.) You can't have it both ways.

Here's how the logic disintegrates: if you're at a bar and see a woman with a tattoo on her tailbone and big hoop earrings, we can all agree, given the right circumstances, she'd probably be up for a one night stand. "Yeah, but she only wants a guy who X---" Maybe, but she'd probably settle for you. "I don't want her to settle for me, I want her to want me." Then you don't really want a one night stand, do you?

She already knows all of this. Just as you think you can tell when those are implants, she's got you figured from 100 paces.

Here's how you succeed: you have to have confidence in yourself, while simultaneously accepting that it could just as easily have been some other guy. If you're not comfortable with that, get out of the bar.

"But it's the whole idea of Don Draper-- that kind of man, living in that kind of time, where men were men... it was more acceptable to have affairs, drink all day... The old days, men could act like men, even if they were flawed."

Draper can seduce women easily because he has both confidence and also lives, perpetually, in that state of emotional disconnectedness that let a girl know you're not going to get all mushy on her. But that means he also doesn't connect with his wife, nor she with him; that's why the affairs "aren't a big deal." It has nothing to do with the year being 1960. It's just a bad marriage.

You should note that his disconnectedness doesn't make his wife less connected to him (though it doesn't help.) His disconnectedness lead him to marry a woman who was not likely to be able to fully connect to him. Many times, you get only the relationship you're ready for.

This isn't unique to Draper. Look at Campbell. He can cheat on his wife with almost no guilt because he's disconnected from her; but of course she is just as disconnected from him. She doesn't love him, she needs him as a supporting cast in her "perfect wife and mother" movie.

ps. Sou muito feliz em ser uma exceção a essa análise contemporânea dos relacionamentos. ;)

10 anos de superação

+ Ver comentários
Gostaria de ressaltar e celebrar a luta contra o câncer, bem como a vitória de muitos. E uma dessas vitórias, graças a deus, é da minha mãe. Esse ano ela completa 10 anos de superação ao câncer de mama. Apesar da dor que é passar por uma experiência dessas, o sofrimento traz um novo valor a vida. E é a partir daí que observo: A esperança de se conquistar essa luta é baseada em muita fé, força, persistência e vontade de viver.

Assim, não custa lembrar a importância de se conscientizar sobre a prevenção e o combate contra a doença. Este mês de outubro representa isso, é o Outubro Rosa.

Um outro ponto interessante é a mobilização social para conseguirmos ajudar pessoas que estão nessa luta. O projeto "Beat Cancer" utiliza a internet e a comunicação publicitária para arrecadar fundos financeiros em prol de doações e pesquisas.

E é uma ideia bastante pertinente, utilizar a mídia em causas sociais.
We knew we'd be in a hotbed of major bloggers and twitterers and Don Lemon and I were talking about how the power of social media should be used for more than just marketing products. If Ashton Kutcher could get a million followers, couldn't we take on a social cause through social media? My business partners who've watched as I've struggled with cancer suggested we try to beat cancer through social media. Thus #BeatCancer was born.

Realização Social

+ Ver comentários
Um dos temas mais bonitos no Direito - e muito abordado nas minhas aulas de IED (ou melhor, nas aulas de filosofia do direito ;P) - é a realização social, que me fez descobrir esse Direito lindo e de como não posso evitar minha paixão por ele.

Segue, assim, a dissertação da minha prova de Teoria Geral do Direito - que a cada aula percebo como poderia ter respondido de maneira mais completa - acerca da questão: Por que a obediência ao Direito implica na realização social do dever ser axiológico constituído historicamente?

A realização social é o propósito fundamental do Direito pois constitui o transcendente, um núcleo indisponível que o Direito busca corresponder ao longo de sua história. A realização social proporciona, igualitariamente, o bem-estar comum a sociedade, e é para tal que o Direito justo serve, pressupondo os direitos fundamentais e as ideias universalizadas, ou seja, estabelecendo uma dimensão axiológica que o Direito ideal deve assumir como referencial e como critério avaliativo, possibilitando a pretensão de correção da realidade normativa.

O Dever-ser axiológico é, portanto, transformado - em forma de obrigação para a sociedade, já que o Direito é imperativo - em Dever-ser normativo legitimado pelo Estado, visto que os valores fundamentais devem ser jurisdicizados em prol da ordem social e então, são positivados no direito. Isto é concretizado, por exemplo, na máxima do Dever-ser normativo: A Constituição.

Entretanto, a obediência ao Direito não se constrói apenas na obrigação jurídica coercitiva, mas sim na obrigação moral. Isso significa requerer que o indivíduo, por meio de sua realização, compreenda a integralidade do direito e a plenitude do sistema, no qual não se obedece às leis só por motivos externos, mas também por motivos internos, pelo convencimento de que tal obediência é algo intrinsecamente bom em prol de reger a convivência coletiva e sua prosperidade, fundamentando a satisfação social. Assim, a obediência não se sustenta pela constrição (como alega Austin), mas pela convicção, visto que a lei se interrelaciona com a moral para se justificar. Norberto Bobbio considera a obediência interior como "dever de consciência" para obedecer às leis.

Ademais, existem concepções como a de Robert Alexy que interligam a validade e eficácia de uma lei com sua justificativa moral, pois o conceito ético que deve transpassar o Direito exige que uma norma seja considerada válida quando moralmente justificada, e seu cumprimento também deve ser em função disso, visto que é necessário um juízo crítico sobre o Direito posto. Dessa maneira, Arthur Kaufmann também expõe que a validade do direito não parte da coerção, e sim da exigência ao direito vigente que faça reinar a ordem e a paz jurídica; e, para a certeza e confiança da realização disto, pode-se usar, no caso da necessidade, instrumentos coercivos.

Considerando, então, a segurança jurídica estabelecida pelo respaldo do Estado e a legitimidade conferida, é necessária a justiça para fazer a conexão entre o Direito positivo e a moral que deve ser cumprida em função da realização social e do bem comum. Assim, existem três valores que todo direito deve servir: o bem comum, a segurança jurídica e a justiça, como defende Radbruch.

A formação do Direito se baseia no contexto social que é constituído historicamente, por sua dinâmica e mutabilidade. Dessa maneira, os elementos do Direito como norma, fato e valor não se correlacionam apenas, eles se dialetizam, integram-se e convergem ao longo da História do Direito, segundo Miguel Reale. Tal reconhecimento configura a atual etapa de pensamento pós-positivista, em que se estabelece um equilíbrio e um aproveitamento dos melhores aspectos do juspositivismo, jusnaturalismo e jusrealismo (Teoria Tridimensional do Direito). Ao longo do processo de construção histórica do Direito se comprova, por exemplo, que o paradigma entre natureza e convenção - como denomina Simone Goyard-Fabre - significa na prevalência dos elementos em cada concepção jusfilosófica. Ou seja, o fundamental dever-ser no Direito é abordado de diferentes maneiras, mas sempre composto pelos elementos que assumem conotações - ou interpretações, como propõe Dworkin - diferenciadas.

Portanto, a atitude do direito é construtiva, interpretativa e auto-reflexiva em que existem valores fundamentais e princípios gerais para a esfera jurídica que consiste no valor do justo, mas que implica a coordenação harmônica de outros valores exigidos, como a liberdade e a igualdade. Essa unidade compõe a justiça precedente ao Direito para que possa transformá-la em justiça social, na qual cada indivíduo possa realizar a plenitude de seu ser a sociedade atingir seu máximo de bem-estar, compatível com a convivência pacífica e solidária do coletivo.

Meu último dia das crianças

+ Ver comentários

Dia 12 outubro: um dia tão esperado pelas as crianças, mais uma desculpa para se ter presentes e receber inúmeros carinhos! De tantos brinquedos e barbies almejadas até aos aparatos tecnológicos, hoje seria o último dos dias das crianças que poderia utilizar minha infância como desculpa para adquirir algo :(
Pois é, no próximo dia das crianças eu já serei uma adulta ;D e só poderei desejar feliz dia das crianças para as respectivas... haha ;P

No entanto, nunca deixarei de ser uma pequena infante... Nunca quero perder esse espírito, a pureza e os sonhos dessa menininha de sorrisos e danças nas pontas dos pés...

E fato é que um presente, com o tempo, perde sua importância... Além do que, presentes não precisam de justificativas para serem dados, muito melhor aqueles que são surpresas, a qualquer momento! ;D

Vale muito mais o sentimento que um presente pode representar do que ele realmente é, e por isso, neste dia das crianças escolhi fazer um passeio agradável com minha família, mamãe linda e meu irmão ;)

Feliz dia das crianças para nós, então!


ps. eu era tão linda!

Pais

+ Ver comentários
Acho que quando dois indivíduos estão dipostos formar uma família, talvez eles não tenham consciência da tamanha estabilidade necessária para se transpassar os melhores valores para um novo ser ao mundo, com base no amor, união e felicidade. Ter um filho não é uma simples responsabilidade referente a si próprio, é muito mais do que isso: você é responsável pela vida do outro. Deve estar presente na formação dessa criança para ser parte do melhor crescimento dela, e não simplesmente ser um figurante. Mais do que isso, cuidar de um criança requer elementos que muitas pessoas não tem em si, e portanto, erroneamente se omitem da vida criança ou transmitem má-influências. Em ambos os casos, quem sofre é a criança. Com seus traumas, com seu crescimento alterado, com sua independência forçosa. Não é mais tão simples ser criança. Ainda sim, cada ser humano tem a capacidade de aprender com as situações e superá-las. Não é fácil, mas nem todos tem uma infância cor de rosa. De qualquer maneira, boas lições são extraídas até das piores experiências de forma que se percebe a vida e a responsabilidade sobre ela de outra maneira. Mesmo sendo ainda crianças, a responsabilidade paternal desolada cai sobre o filho e este deve saber lidar com ela para o seu próprio bem. Merecem um feliz dia das crianças, porque nestas 'crianças' há o compromisso e a esperança de construírem um futuro diferente, sendo pais conscientes em prol da integridade e felicidade de seus filhos, e assim poderem sonhar um com uma sociedade melhor.

Além dos ressentimentos

+ Ver comentários

Em sofridos relacionamentos nutridos de mágoas e remorsos, às vezes o mais saudável para apaziguar as desavenças é justamente perceber que a estabilidade de cada sujeito da relação é fundamental para que consigam superar seus problemas e, portanto, precisam resolver isso individualmente para poderem superar tal envolvimento conflituoso.

Independente de quanto tempo levem para restabelecer uma relação estável, não se pode perder a esperança, pois a coisa mais triste é ter de desistir de uma pessoa importante na sua vida. Se ponderarmos, muitas relações negativas são (e devem ser) descartáveis, outras, possuem o caráter de que deve ser válido o esforço para contornar a situação turbulenta. No entanto, tudo tem um limite, tudo tem seu desgate e infelizmente meros seres humanos devem se conscientizar que não podem fazer milagres sozinhos bem como não podem insistir na ajuda àqueles que não querem ser ajudados. Nem por isso, mais uma vez, deve-se sucumbir a desistência. Ao contrário, deve se almejar toda a prosperidade ao outrem para que consiga reconhecer seus erros, lidar com suas falhas e a partir daí, estar apto para a mudança positiva em prol de seu progresso, de seu bem-estar e sua paz de espírito, para que seja capaz de manter relações estáveis, superando o passado e seus respectivos ressentimentos, em prol de reconstruir um novo relacionamento compartilhando felicidades.

Feliz aniversário, pai.

Don't blame your daughter
that's just sentimental
and don't blame mom
for all that you've done wrong
Dad is not guilty,
just a little faulty (...)

Read me your tombstone,
tell me you're sorry, fax me your will,
you owe me something still
Blood is like water
the bath that you poured me
has drained and it's gone,
don't blame it on your son
And the song you sing today
wasn't always in your head,
the words you tryin' to say
are the ones you shouldn't 've said
they're glistening like diamonds,
go out and find'em
The world is full of diamonds
go out and find'em
but don't blame your daughter.

Felicidade

+ Ver comentários

A felicidade, com todo o seu relativismo, é uma conquista pessoal. É possível ser feliz dentro de certos limites, e, qualquer que seja a concepção de felicidade, será sempre uma construção pessoal, dependente de nossas realizações interiores. Isso exige uma compreensão mais ampla da vida e o estabelecimento de um código de conduta compatível com nossa vivência pessoal, além de tempo, constituindo um projeto de vida.

Como Rosseau diria, a fonte da felicidade reside dentro de nós.

Rio 2016: "Live Your Passion"

+ Ver comentários

Neste vídeo (maravilhoso, por sinal, cheio de ideias pertinentes), Isabel Allende conta histórias de paixão. Descreve a experiência olímpica que teve em Turim, onde conheceu uma multidão entusiasmada que aplaudia uma das 80 equipes olímpicas passando pela rua, em que aqueles atletas haviam sacrificado tudo para competirem naqueles jogos. Todos merecem vencer, mas há o elemento sorte, que podem determinar o resultado de uma corrida ou de um jogo. Entretanto, o que mais importa - mais que treinamento ou sorte - é o coração. Somente um coração destemido e determinado conseguirá a medalha de ouro. Tudo diz respeito à paixão. As ruas de Turim estavam repletas de posteres vermelhos anunciando o slogan das Olimpíadas, "A paixão mora aqui". Não é sempre verdade? O coração é que nos motiva e determina o nosso destino.

E a palavra chave que torna as Olimpíadas tão magníficas, que nós devemos carregar em nossas mentes e corações, é Paixão.

Isso me remete ao slogan "Live Your Passion" de nossas olimpíadas que acontecerão em 2016, sediadas aqui no nosso país, na cidade mais cheia de graça - sem dúvidas, há algo de especial - no Rio de Janeiro.

Não achava que, no momento, iria escrever algo sobre as Olimpíadas, visto que tantos já dissertaram tão bem sobre o assunto, mas, não posso deixar de notar, agora, que nossas olimpíadas não serão apenas mais uma, e sim, as Olimpíadas que significarão muito para o Brasil, para a América Latina e o para o mundo. Esse ar de inovação, com certeza, traz consigo aquela ideia ansiosa sobre o que esperar e o que estará por vir - mudanças e transformações necessárias em 7 anos para concretizarmos o evento - mas, definitivamente, será algo muito positivo - sendo uma oportunidade tão cheia de esperanças para o Brasil, que podemos sim sermos responsáveis e realizar com qualidade e, o melhor, com o espírito único que o brasileiro tem. É essa energia e essa paixão - e no caso, especialmente pelo esporte - que nos torna tão significativos.

Então, não há como negar que esta é a maior valorização que devemos ter. Acreditar que podemos sim ser "O país do futuro" no presente, transformando o figurativo em atitudes concretas, que aliás, o Brasil vem mostrando muito bem conseguir seu espaço e o reconhecimento mundial. Como, com tantas evidências, negar a ascendência e importância do Brasil no Sistema Internacional? É necessário que cada cidadão brasileiro internalize este valor reconhecido e a paixão pelo seu país, sendo otimista por ele e contribuindo para formar um país de progresso.

Que as Olimpíadas possam realizar a paixão do brasileiro e transpassar isso para o mundo, surpreendendo positivamente a todos. ;)

E 2016 já já chega para conferirmos.

Fulfillment

+ Ver comentários


1. Fulfillment - a feeling of satisfaction at having achieved your desires
* satisfaction - the contentment one feels when one has fulfilled a desire, need, or expectation;

A realização individual se expressa nas alegrias do dia-a-dia, no amor, na paz de espírito... até conquistarmos a felicidade plena. São as pequeninas paixões que dão graça a vida. O sucesso é ser bem sucedida sendo feliz com que é, com o que faz, com o que gosta.
A vida é composta de pequenas realizações que constroem base para maiores, porque a amplitude da palavra "Realização" é muito grande.



O sucesso é a realização de qualquer coisa valiosa para si. Pode ser a paz de espírito e felicidade; união no lar e na família; o gosto pelo trabalho; independência financeira; alegria e satisfação por servir os outros; o desenvolvimento das forças construtivas inerentes ao homem; amar a vida e sentir-se satisfeito com o seu carater, os seus ideais e os trabalhos realizados.
«Talvez ainda se não tivesse encontrado uma definição de sucesso aplicável a todas as pessoas» - escreveu Zu Tavern - «Cada um de nós tem a sua ideia pessoal de sucesso, e essa mesma ideia vai-se modificando com a passagem do tempo. Para alguns, sucesso é igual a fama; para outros, riqueza em dinheiro; para outros ainda, apenas amor e felicidade.»
É uma lei da natureza humana realizar, ganjear respeito, ser um trabalhador e construtor ativo, deixar o mundo um pouco melhor que o encontrado. O homem foi feito para realizar. A maior satisfação da vida provém da realização. Isto prova-se pela sua estrutura física, mental e moral.

Quando faz qualquer coisa - para os outros ou para o seu próprio bem - é feliz e sente-se útil.
O desejo de realizar nasce conosco. Desejamos fazer qualquer coisa digna, chegar sempre mais além, atingir alguns dos nossos ideais. A pedra angular do sucesso e da realização é a vontade. A ambição é a força que nos empurra para a luta. No momento em que deixarmos o prazer ou as dificuldades neutralizarem esta força, no momento em que deixarmos de avançar, no momento em que essa ambição morre, é então que morremos também. O sucesso real foi planejado para ser atingido nos três planos do nosso ser - físico, mental e espiritual.

Alfred Montapert, in 'A Suprema Filosofia do Homem'

Desejos de vida

+ Ver comentários

Nesse mundo em que somos consumidos por uma vida corrida, não podemos deixar que sejam corrompidas as belezas da vida e 'esquecer' dos desejos que nutrimos alcançar. As metas de vida não podem se perder pelas atribulações do caminho, pois devem servir como referência de um esforço em prol delas. Acredito que se há convicção naquilo que se quer e se acredita, isso permanece. E não podemos deixar de concretizá-los. Caso contrário, renova-se. No entanto, isso não quer dizer que objetivos são fixos e estáticos - eles são construídos e consistem no feliz caminho para se chegar até eles, e como dizem, a 'graça' deve estar justamente no caminho que percorremos - e isso denomino de pequenas realizações. De pequenas realizações um sonho se constitui e creio que este seja o critério de avaliação - a satisfação interior - para sabermos se estamos no caminho da felicidade. E sonhos, metas, desejos nunca podem deixar de existir em nossas vidas para nos realizarmos e sermos felizes.