Longa vida

+ Ver comentários

Meu bisavô é um exemplo de longa vida: Com mais de 95 anos, ainda luta para viver.
E digo 'vovô' porque minha vó tem uma concepção muito interessante sobre essas denominações - não gosta de ser chamada de vovó porque seria velha demais, ou seja: duas sílabas significam ser avó de mais gerações ;P

Medo de envelhecer, ao contraponto que viver tanto também pode ser medo de morrer.

Meu vovô viveu muito e até pouco tempo estava em ótimo estado para idade dele, completamente lúcido e com muitas histórias para contar. Entretanto, o que ele tinha para viver ele já viveu - e, querendo ou não, a hora de partir chega para todos. Espero que seja de forma pacífica para ele, ao menos. Considero que o importante é ter em mente que cuidamos dele e prezamos para que ele esteja bem - ao contrário de muita hipocrisia da família que, na hora da morte, bate a consciência pesada. Família, família... sempre algo complicado.

Mas então, só sei que longevidade para mim deve ser o tempo suficiente para eu concretizar minhas realizações - nada mais e nada menos do que isso. Tudo há um limite e um equilíbrio, especialmente em termos de vida: viver é um privilégio mas chega uma hora que pode se tornar um fardo - e não quero que essa hora chegue.

Também não quero que viver seja sinônimo de sofrer, enterrar todos antes de mim... Ah não! Quero uma boa vida ativa onde possa categoricamente dizer 'eu vivo' e uma aposentadoria em que eu possa ter a paz de espírito para dizer 'eu vivi'. E assim tudo estará bem: uma vida que valeu a pena viver.