Escolhas de vidas

+ Ver comentários



Em Doctor Who há uma interessante teoria sobre os universos paralelos onde cada pequeno detalhe de escolhas podem mudar o rumo da sua vida, criando uma nova dimensão de realidade.

... the premise is if you always do the right thing, there is no way to go wrong.

Não é tangível avaliar se fizemos as escolhas certas ou se estamos no rumo adequado, mas para mim, sigo o parâmetro da paz interior e da satisfação. Penso que essa premissa é até uma maneira de ficarmos mais tranquilos quanto ao futuro, mesmo sabendo que existem inúmeras circunstâncias imprevisíveis (sejam elas para o melhor ou não) que podem aparecer no caminho.

Acredito que o rumo de vida mais puro é seguir as paixões que nos trazem inspiração à prosperiedade. E a minha, é a paixão da realização, de sempre se apaixonar por várias coisas na vida para satisfazer minhas curiosidades e meu apreço pela cultura de sempre saber mais dentre o infinito de conhecimento...

Sabe como é: "A ignorância é a mãe da curiosidade, mas a curiosidade é a mãe da sabedoria". Interpreto, então, que é a curiosidade é algo um tanto complexo, por ser um potencial ambíguo que depende de nossas diretrizes para tomar um foco.

E é assim que entendo os rumos de vida: Deve-se seguir com dedicação e empenho, um esforço indispensável para alcançar a realização, entretanto, dentre um leque de milhares de paixões, infelizmente é necessário haver foco para conseguir se atingir cada uma com propriedade.

Um dia me disseram um frase muito marcante que até hoje fico refletindo: "Você quer ser de tudo um pouco e não ser suficiente em nada, ou ser boa em apenas uma coisa?"

É a expressão do atual pensamento de especialização, mas aí penso: "Não teria mesmo como ser boa em várias coisas, segundo uma máxima grega de conhecimento holístico?"

A resposta que por enquanto tenho é de que toda experiência é válida - conhecimento é algo sempre a se agregar para ser melhor utilizado e aplicado, mesmo que seja apenas para um âmbito (toda influência é construtiva). E ainda sobre esse quesito, penso que se deve haver um âmbito de foco - mas não necessariamente ele deve ser restrito, creio que ele possa abranger uma amplitude considerável de desenvolvimento do saber.

Entretanto, nem tudo pode ser concomitante - é preciso de definições certeiras, sejam elas diretas ou indiretas. Dessa maneira, o mais razoável é prezar pelo que melhor atende o próprio bem-estar e anseios em prol da realização maior. Assim, certas tentativas ficam reservadas ao âmbito da experiência construtiva e o mais prudente é resignar-se a essa difícil escolha.