2010 para o blog

+ Ver comentários
Contabilizando um total de 350 posts, o blog "Pequena Infante" está em pleno desenvolvimento. Em uma dinâmica criativa de expressão de ideias que geram muitas divagações e reflexões, o blog encontrou sua voz e espera sempre contribuir com algo de interessante para o leitor, seja sobre a vida cotidiana ou até quanto ao mundo acadêmico.

E assim, sendo "escritora" deste blog, fico extremamente feliz por poder compartilhar e também, reciprocamente, ver a participação das pessoas que agregam pensamentos cada vez mais interessantes por aqui! Desejo a todos, portanto, o melhor proveito desse espaço de ideias e que 2011 possa ser muito profícuo para nós!

Perspectivas do ano

+ Ver comentários
Com base na retrospectiva de 2009 e nas metas de 2010, faço um breve panorama das minhas análises pessoais deste ano e dos anseios que estão por vir. Em particular sobre as ditas "metas", costumo chamá-las de abstratas, visto que são desejos subjetivos que esboçam uma perspectiva geral do esperado. Se possível, sempre devemos almejar o melhor e traçar grandes e bons planos. Não é uma questão de "ah, não faço metas pois nunca dão certo", porque isso depende do que você objetiva como expectativa concreta - a mim, trabalho apenas com um panorama de diretrizes (as quais podem e devem ser transformadas com o caminho). Diria que essa é uma das melhores qualidades: O que realmente torna um ano positivo é o potencial deste te surpreender.
Contudo, diria que uma das maiores alegrias de 2010 foi alcançar o esperado dos planos: É o ato de concretizar. No viés objetivo, realizaram-se os grandes desejos de viajar para o exterior (e ah, quantas outras boas viagens a cada mês desse 2010/2! :), aprender a dirigir, por exemplo. Gosto de fazer uma reflexão comparada no sentido de "Quem eu era há um ano atrás? Em qual situação eu estava? E hoje?" E é tão feliz para mim, sabe, perceber o quanto agreguei a minha vida, o crescimento pessoal que tive, bem como o crescimento intelectual/acadêmico - acho impressionante o quanto mais podemos fazer, conhecer, aprender, viver e amar! Importante também é a serenidade de ser que minha vida adquiriu, dentre várias definições e decisões que vamos fazendo de pouco a pouco com as simples escolhas rotineiras que - conscientemente ou não - moldam nosso caminho. Este é, agora, definitivamente "adulto" (algo que só tem relevância formal, na verdade). Além disso, me conscientizei da importância de devidamente cuidar de mim, e isto será um objetivo constante de vida. Afinal, é máxima do bem-estar em plenitude.

Dessa forma, parece que se passou muito mais do que um ano, e sim, como se 2010 fosse vários momentos de anos. Penso que 2010 foi um ano bastante eficiente - pelo fato de que tanto aconteceu, e de maneira tão rápida, quase! O ano passou e sequer sentimos.

Assim, em uma análise mais ampla, creio que o essencial do meu ano foram as concretizações - claro, as grandes felicidades de, meio um caminho de tamanha perseverança, realmente conseguir e alcançar. Os aprendizados do valor da paciência e da persistência foram imprescindíveis, e, no fim, com grandes ganhos, como o "final feliz e sorridente". Não somente isso, nos estudos finalmente realizei os meus anseios com línguas estrangeiras e o meu desenvolvimento no piano. De maneira geral, então, o ano foi extremamente satisfatório e bem-sucedido, nos seus períodos de perseverança e de concretização.

Só me resta desejar sempre mais e melhor para 2011: Um constante processo de aprimoramento e realizações! ;)

Almejo, portanto, um 2011 incrivelmente maravilhoso!

A Brand New Year

+ Ver comentários

"Wow, it really snowed last night - isn't it wonderful?
Everything familiar has disappeared! The world looks brand new!
A new year, a fresh, clean start!
It's like waiting a big white sheet of paper to draw on!
A day full of possibilities!
It's a magical world. Hobbes, ok buddy...
... Let's go exploring!"

Essa é uma filosofia curiosa de que o ano velho se foi, tudo passou e agora, só pela troca de data, o mundo se tornou completamente novo! Na verdade, isso é o que ocorre todos os dias: Muitas vezes não nos damos conta que cada momento é uma nova oportunidade de transformar.

Sendo assim, espero que não apenas pelo simpático (e simbólico) espírito de ano novo, haja o impulso de sempre desfrutar o melhor de cada instante e aproveitar todas as ocasiões favoráveis! Explorar de maneira positiva, portanto, tudo que 2011 tem a nos oferecer! :)

What goals are made of

+ Ver comentários
No clima de ano novo, costumamos idealizar milhares de metas, promessas e afins. Entretanto, o que realmente importa é a consistência para concretizá-las. Sendo assim, a imagem acima me lembra muito a filosofia do 43 things (o qual, à propósito, preciso cuidar e atualizar! ;P).

Portanto, acredito que a vontade de realizar é a fonte de todo propósito ideal. A partir do "querer", formam-se desejos persistentes que podem se tornar grandes sonhos a serem realizados por meio de um objetivo de dedicação e empenho para tal.

Life can be sweet and amazing,
All you need is an idea of what you want,
Takes a lesson and make it the best you can,
And / Don't let the little things try to bring you down,

Your dreams are made of wishes,
To become reality not a fairy tale,
It's amazing that you can be real,
Just do good along and make things better...

Perplexo

+ Ver comentários

Bottle from Kirsten Lepore on Vimeo.

Eis um belo video que me causa perplexidade. Simplório, mas há algo bastante sensível nele. Não sei dizer se o final é positivo ou não, e isso me intriga. O video em si também me deixa admirada: É muito bem feito e aborda inúmeras questões de maneira bem sutil, como a distância e a amizade; o ato de ser curioso por outrem e querer compartilhar pequeninas alegrias; de se preocupar e amar.



ps. gostou do título, meu amor? =)

Especial de Natal: Doctor Who

+ Ver comentários

Já é de conhecimento de todos o quanto sou uma Whovian e quanto adoro angariar novos fãs para Doctor Who - afinal, é uma série brilhante! Todo episódio nos encanta! A imagem acima representa a afeição que temos com todos os doutores.

Para manter nosso encanto, a cada Natal temos algo ainda mais especial: um episódio para nos deixar felizes entre o lapso de tempo das temporadas. Este, em específico, feito por Steven Moffat, além de suprir nossa curiosidade, nos deixa ainda mais empolgados com os mistérios que estão por vir. E, no âmago do espírito natalino, nos mostra que o amor é o que verdadeiramente pode transformar os tempos.

Stunning Nature

+ Ver comentários
Gostaria de compartilhar com vocês o quanto admiro a exuberante beleza da natureza, ainda mais aquela que reflete ambientes e condições não tão próximas do que conhecemos. É algo tão singelo que não se compõe em palavras - mas talvez possa ser demonstrado em maravilhosos videos, como seguem abaixo:

Journey through Canyons from Metron on Vimeo.


Fleeting Light: The High Desert and the Geminid Meteor Shower from Henry Jun Wah Lee on Vimeo.


Aurora Borealis timelapse HD - Tromsø 2010 from Tor Even Mathisen on Vimeo.

Relationships

+ Ver comentários
...because any good relationship, it's about both people.
'cause any true relationship,
it's never just
about yourself.
So... So, if you can stop
looking at it like that
and put aside your desire
to find the perfect man,
you might just find the man
that's perfect for you.

From Being Erica

A plenitude de uma relação, para mim, deve ocorrer em "Mind, Body and Soul", nos sentidos de sintonia, entrega e união. É essencial para uma boa relação um vínculo bilateral que compartilhe sentimentos via a importante expressão mútua destes. E assim, nutrir um amor completo e feliz!

Inner Realities

+ Ver comentários
Pencil Vs Camera - 26
How can you prove whether at this moment we are sleeping, and all our thoughts are a dream; or whether we are awake, and talking to one another in the waking state?
Plato

Inner realities: How can you truly distinguish and define reality into the consistency of your thoughts and dreams? As far I'm concerned, it can even lead to madness as more deep and complex this is.

Illusory Reality

Shams and delusions are esteemed for soundest truths, while reality is fabulous. If men would steadily observe realities only, and not allow themselves to be deluded, life, to compare it with such things as we know, would be like a fairy tale and the Arabian Nights' Entertainments. If we respected only what is inevitable and has a right to be, music and poetry would resound along the streets. When we are unhurried and wise, we perceive that only great and worthy things have any permanent and absolute existence, that petty fears and petty pleasures are but the shadow of the reality. This is always exhilarating and sublime. By closing the eyes and slumbering, and consenting to be deceived by shows, men establish and confirm their daily life of routine and habit everywhere, which still is built on purely illusory foundations.
Children, who play life, discern its true law and relations more clearly than men, who fail to live it worthily, but who think that they are wiser by experience, that is, by failure. I have read in a hindoo book, that "there was a king's son, who, being expelled in infancy from his native city, was brought up by a forester, and, growing up to maturity in that state, imagined himself to belong to the barbarous race with which he lived. One of his father's ministers having discovered him, revealed to him what he was, and the misconception of his character was removed, and he knew himself to be a prince. So soul," continues the Hindoo philosopher, "from the circumstances in which it is placed, mistakes its own character, until the truth is revealed to it by some holy teacher, and then it knows itself to be Brahme." I perceive that we inhabitants of New England live this mean life that we do because our vision does not penetrate the surface of things. We think that that is which appears to be.

Henry David Thoreau, in 'Walden'.

Warmest wishes

+ Ver comentários

Como já ressaltei inúmeras vezes aqui no blog, gosto muito do Natal não apenas pelo momento que representa, mas sim pelo estado de espírito que traz. Em outras palavras, significa compartilhar os melhores sentimentos ao próximo, e assim, estar unido a quem se ama. Isso vale muito mais do que qualquer lembrança material ;P
last one!
christmas gifts

Pequenos encantos de Buenos Aires

+ Ver comentários

Para estrear ótimas férias, a viagem para Buenos Aires poderia se resumir apenas na foto acima. Segue ao longo do post muitas outras podem representar os bons momentos, a despeito de infortúnios argentinos que não me deixam formar uma visão romântica de Buenos Aires. Não obstante, tive uma amável viagem - e gostaria de expor pequenos encantos, mesmo que alguns não sejam mensuráveis ou apreensíveis em fotos.

Concretizações

+ Ver comentários
Fall Sunset
Como é bom finalmente concretizar desejos tão-almejados! São pequenas realizações na vida, sendo pequeninas alegrias que constituem a grande felicidade de viver e sonhar. Já nesse ritmo de bom descanso e comemorações de fim de ano, é interessante lembrarmos das metas estipuladas no início do ano - e como sou feliz em concretizá-las! Ainda hei de fazer um post específico para isso, mas como felicidade deve ser compartilhada, exponho desde já aqui no blog a leveza e a sublime alegria de se alcançar uma concretização - em meio a um caminho perserverante de esforços, paciência e persistência! E, além da concretização em si, este também é muito valioso! ;)

Ritmo de quase férias

+ Ver comentários
Luzes do fim de tarde na Praia de Camburi
Fim de tarde na praia de Camburi
Esses finais de tarde com cara de verão já me deixam com a tranquilidade e paz de espírito leve das férias... Ainda que existam alguns compromissos acadêmicos importantes antes de se declarar férias! E, ah, as férias! Logo logo terei uma ótima experiência de viajar ao exterior e conhecer uma nova realidade lá em Buenos Aires, ao lado do meu amado! ;D

Mas... faz tempo que já estou no ritmo de 'quase' férias, assim como Séneca estipula:

December

+ Ver comentários

Gostaria de comentar a reação de tantas pessoas, inclusive a minha, sobre o mês de dezembro ter chegado tão rápido - realmente, quão rápido o ano passou, mas quanto conteúdo ele teve!

Contudo, é interessante vermos como tanta coisa acontece, mas não necessariamente guardamos elas em um espaço de tempo anual; então quando chegamos no fim do ano, mal temos em conta o quanto se passou.

Quantas pessoas estão clamando por férias: e o mês de dezembro é como se fosse sinônimo disso. Por isso, acredito que Dezembro tem uma imagem bastante leve, sabe... Além de ter a boa imagem do final do ano - apesar de toda a correria que traz consigo. Particularmente, gosto muito do ar natalino e dos novos ares da virado do ano, portanto, dezembro é sempre uma alegria.

Esse ano, quero compartilhar essa alegria com mais alguém que precise. O contexto dessa história é que quando eu era mais pequena, sempre quis mandar uma carta para o papai noel via correios - entretanto jamais o fiz, já que nunca acreditei muito nessa questão e nunca tive tal necessidade. Hoje, estou disposta a mudar de posição: Em aleatoriamente pegar uma cartinha e fazer o possível para poder realizar um pedido carente. Quem sabe não dá certo? Não custa tentar alegrar mais alguém nesse mundo.

E se?

+ Ver comentários

Nesses últimos dias, como se não tivesse mil outras coisas em pauta, comecei a assistir uma série muito interessante, Being Erica[1]. Gostaria de fazer uma breve reflexão sobre a proposta dos episódios que tratam sobre o crescimento pessoal e auto-conhecimento da protagonista, dentre os diversos problemas da vida.

Apresenta-se a interessante questão de se analisar o passado, não apenas como fonte de superar traumas, mas de realmente aprender as lições que já foram vividas para serem melhores utilizadas no presente. Na verdade, é uma reflexão interna sobre os dizeres de Churchill:
Those who fail to learn from history are doomed to repeat it.
Assim, a série trabalha com várias hipóteses de transformação dos aprendizados do passado que causam efeitos no presente, o que logo nos lembra uma situação bastante cotidiana de pensar sobre o "e se": "E se tivesse feito de outra forma...; e se não fosse assim...?"

De fato, penso cada momento da vida é feito de escolhas, e, ainda que melindrosas, são elas que definem o rumo seguinte - e portanto acredito que escolhas da vida são feitas em um sentido de "it meant to be", independente das hipóteses.

Pode até parecer uma situação paradoxal entre fé e razão; mas quase como um ato de fé, deve-se seguir um rumo de vida atento as razões das escolhas que o formam. Embora isso seja relativo, assim podemos ter a certeza de que estamos no melhor caminho - ou não: neste caso, urge a mudança.