O meio e o fim

+ Ver comentários
Washington Monument,  National World War II Memorial and Capitol at Night
The West Wing

Em geral, minha curiosidade com livros e séries se traduz em ansiedade: Posto que se é bom, mal posso esperar pelo o que estar por vir. Não tenho problema com spoilers e tenho uma técnica não-linear de compreender as histórias, ou seja, não me importo em descobrir o fim. Admito que essa ansiedade me deixa apreensiva com o que é interessante, ao mesmo tempo que não compreendo a dinâmica de comédias que são só passa-tempo sem uma perspectiva finalística. Mas reconheço que "o meio" das histórias tem seu valor em tramas como a de West Wing, que cada episódio tem suas próprias passagens impressionantes e singelas, criando longos caminhos imprevisíveis de vida nas 7ª temporadas (então mesmo se eu quisesse ser ansiosa, não daria conta de apressar 7 temporadas assim! :P). Afinal, assim como a vida, um bom futuro se constrói com um agradável presente, não? ;)

----

Sob outro teor: Meios e fins sempre lembram a expressão de Maquiavel, mas é importante fazer algumas considerações ao "maquiavélico". Do livro "Somos Maquiavélicos", de Júlio Pompeu:
De todas as condenações históricas de Maquiavel, a pior e mais famosa parece ser a da sua amoralidade: Só os fins importariam, o que significaria dizer que, em nome deles, tudo é permitido. Nós aprendemos justamente o contrário, que não podemos fazer de tudo para alcançarmos nossos fins, que os meios de ação na sociedade devem ser regulados, que a ambição deve ser medida. De todas as condenações, essa é a pior e a mais injusta. Onde Maquiavel foi menos compreendido e, por consequência, mais criticado. (E sequer escreveu, literalmente, nenhuma dessas má-traduções da frase que lhe foram atribuídas! Deve-se, sim, entendê-las no contexto e na linguagem em que "nelle azioni di tutti li uomini, e massime de principi, dove non è iludizio da reclamare, si guarda al fine")
"Responsabilidade: um fardo descartável e facilmente transferido para os ombros de Deus, do Destino, da Sina, da Sorte, ou do nosso vizinho."

Ambrose Bierce in Dicionário do Diabo