Lições I - Indeterminações

+ Ver comentários
Source: davidairey.com via Jess on Pinterest


Hoje em dia, muito se discute sobre a ansiedade e a impaciência dos jovens pelo futuro - que se pretende o "todo" o mais rápido possível. Li esses dias que é necessário "tolerância perante a ambiguidade, ou seja, a capacidade de se lidar racionalmente com as indeterminações, as aporias irresolúveis, os riscos da vida". Interessante, não?

Em particular, gosto de pensar sobre o futuro como se fosse um jogo de xadrez: Um horizonte amplo de perspectivas que abrangem várias hipóteses - mesmo sendo que algumas circunstâncias não dependem estritamente de você (e no caso da analogia em tela, referem-se ao movimento do outro). Poderia dizer que essas perspectivas acalmam minha ansiedade, no sentido que prefiro a consistência da estabilidade - ainda que seja apenas com planejamentos.

É difícil lidar com o dúbio e com as indeterminações da vida, mas devemos compreender que o relativismo não é algo a superar, mas sim a praticar com inteligência e critério. Continuando a passagem, "nada neste mundo é 'in-condicionado', nada é 'ab-soluto'. O relativismo é perfeitamente compatível com uma forte convicção, mas esta convicção é acompanhada pela consciência de que, para além da própria convicção, existem também outras convicções de igual valor".