J'ai de l'espoir?

+ Ver comentários
Heaven can wait

Tem como ver o olhar de uma criança e não acreditar que o mundo possa ser um lugar melhor? Ou seria tudo uma doce ilusão? Bem, eu ainda estou pensando no caso.

Por mais que o mundo goste de contrariar, gosto de pensar que precisamos de ideais e de uma visão de futuro no oriente, sem deixar de considerar um horizonte amplo. Com esperança, ideais e visão de futuro estão intrinsecamente vinculados. O mais importante é o potencial transformador disso.

Game of Thrones

+ Ver comentários

Fantasy is always bigger, more exciting and colorful than history. You take the inspiration from history and make it much more and perhaps even more dramatic.
It is just the best story, facinating in so many twists and turns - and when you think you got it figured, it completely changes its mind.

What do you know about fear? Fear is for the winter. And the winter is coming.

Game of Thrones

O indivíduo e seu futuro

+ Ver comentários
Pencil Vs Camera - 52
O homem pode sempre mais e pode ser coisa diversa daquilo que se esperaria dele. O homem é inacabado e inacabável, sempre aberto ao futuro. Não há homem total e não o haverá jamais. Por isso há dois modos de pensar o futuro do homem. Posso concebê-lo como um processo natural, análogo àquele que respeita aos objetos, e formular probabilidades. Ou então posso imaginar as situações que vão ocorrer sem saber a resposta que lhes dará o homem, sem saber como, através delas, mas espontaneamente, ele se encontrará a si próprio. No primeiro caso, aguardo um desenrolar necessário que poderia conhecer em princípio, mesmo se não o conheço. No segundo caso, o futuro, longe de ser o desenvolvimento de necessidades causais implicadas pela realidade dada, depende do que será realizado e vivido em liberdade. As inúmeras pequenas ações dos indivíduos, todas as suas livres decisões, todas as coisas que realizam, têm um alcance ilimitado.

O limite do possível

+ Ver comentários
Stone Rug 5 1 09
Não Seremos Capazes de Modificar um Único Homem: Deixemos pois de pensar mais em punir, em censurar e em querer melhorar! Não seremos capazes de modificar um único homem; e se alguma vez o conseguíssemos seria talvez, para nosso espanto, para nos darmos também conta de outra coisa: é que teríamos sido nós próprios modificados por ele! Procuremos antes, por isso, que a nossa influência se contraponha e ultrapasse a sua em tudo o que está para vir! Não lutemos em combate direto... qualquer punição, qualquer censura, qualquer tentativa de melhoria representa combate directo. Elevemo-nos, pelo contrário, a nós próprios muito mais alto. Façamos sempre brilhar de forma grandiosa o nosso exemplo. Obscureçamos o nosso vizinho com o fulgor da nossa luz. Recusemo-nos a nos tornar, a nós próprios, mais sombrios por amor dele, como todos os castigadores e todos os descontentes! Escutemo-nos, antes, a nós. Olhemos para outro lado.

Friedrich Nietzsche, in A Gaia Ciência

Feliz dia para quem é

+ Ver comentários
Morning Star
Feliz dia para quem é
O igual do dia,
E no exterior azul que vê
Simples confia!

Azul do céu faz pena a quem
Não pode ser
Na alma um azul do céu também
Com que viver

Ah, e se o verde com que estão
Os montes quedos
Pudesse haver no coração
E em seus segredos!

Mas vejo quem devia estar
Igual do dia
Insciente e sem querer passar.
Ah, a ironia

De só sentir a terra e o céu
Tão belo ser
Quem de si sente que perdeu
A alma p’ra os ter!

Fernando Pessoa, in Cancioneiro

História 'perdida'

+ Ver comentários
Sabratha | Libya
Fico deslumbrada diante do potencial histórico que existe e já existiu. O título desse texto é história "perdida" em um sentido de mistério, do desconhecido, do instigante. Certo monumentos e pontos históricos inspiram uma grandeza oculta. "O que será que se passou naquele local?" é apenas uma das perguntas que nos vem a mente para desbravar essa história. A outra face do termo história "perdida" é referente as principais fotos desse post, de um local estupendo que descobri recentemente, Sabratha, na Líbia. Muitos são os lugares interessantes existem por aí e não conhecemos; quantos lugares importantes existem historicamente e não são bem conservados... Muitas vezes relevamos o potencial histórico das coisas e nos esquecemos de como tais atos são transcendentais. Deveríamos, portanto, valorizar a cultura histórica que nos precede.

Sabratha

Money Myth

+ Ver comentários
Guy relaxing on money
Money is nothing more than a piece of paper with the image of a long-dead person on it. When you understand that any power it has over you is derived from your relationship with it, you suddenly become free from the constant pressures of thinking about it. There is nothing you can gain from worrying except stress.

Estudo e conhecimento

+ Ver comentários
Library books
Esta é uma breve reflexão inspirada pelo texto "Richard Feynman on education in Brazil".

Estudar não deveria ser um ato em si, mas sim em prol do conhecimento. Não é apenas a mera ação, o dito "estudo" por estudar, que se torna um imenso 'fardo enfadonho' e sem sentido. Sem aprendizado efetivo também. Acredito que estudar é um meio de adquirir saberes e isso é um ato tão sublime que, fazendo isso, nem sinto que estou propriamente "estudando", da forma comum e geral que o ato é tratado. Penso que esse é o segredo de estudar o que se gosta, torna-se eficiente e indolor. Sinto quase como se estivesse 'trapaceando', porque as pessoas perguntam: "Nossa, você deve estudar muito né?!" e não é bem assim, porque é uma medida relativa e particular a necessidade de cada um, depende da estratégia e ritmo próprios. No fim, tudo se resume a como você quer aprender o conteúdo. E como esse conhecimento pode e deve ser tão mais aprofundado!

Assim, seguem abaixo trechos do texto supracitado. Conta especificidades ao ensino de exatas, mas que (infelizmente) pode ser muito bem constado na realidade que vejo no atual ensino jurídico¹, por exemplo.