Mysteries and dreams into the sky

+ Ver comentários

Though the man was indeed sad,
He was no lad.
Knowing truth and knowing lies,
He resides in the skies.
Mysteries, fantasies, and dreams,
He keeps a careful eye on what we gleam. (...)
One word is all she says.
Pond.
Oh Doctor, Oh Doctor, can you not stay?
Nay, I cannot stay, I have things to do and planets to save!
Perhaps... You could come with me?
Clara, Clara up into the skies.
Enter the magic blue box,
Remove his many locks,
That wrap around his hearts.
But some must die for momorirs to last,
Only the Doctor knows of the secret in the past.
Died once, died twice,
Clara Oswin Oswald, who are you? (...)
Only time will tell how this story ends.

Comemorações natalinas

+ Ver comentários
Árvore tão querida de Natal

Apesar da minha árvore de Natal ter demorado para ficar completa, o dia 24 apareceu para mim de forma súbita! Geralmente gosto muito do clima de fim de ano no combo férias+descanso+festas, contudo, no ritmo diferente de dezembro desse ano para mim, o Natal me apareceu quase junto com a rotina e parei para pensar: Natal é todo dia, em valorizar a presença do outro - mas na verdade, o simbolismo consiste naquele instante onde paramos tudo para comemorar em família, com união, harmonia e muita comida boa, não?!

Desejos de Natal

+ Ver comentários

Adorei essa mensagem de Drummond, que de alguma forma, traduz muito o que eu sinto:

Gostaria de lhe desejar tantas coisas. Mas nada seria suficiente para repassar o que realmente desejo a você. Então, desejo apenas que você tenha muitos desejos. Desejos grandes e que eles possam te mover a cada minuto, rumo à sua felicidade!

Sempre queremos tanto, mas às vezes também temos que parar para agradecer. E nos satisfazer com tudo que já temos!

Instantes

+ Ver comentários

Instantes que não são "fotografáveis", apenas valorizados na sua maneira singela. E como gosto de sentir isso na vida!!!

Uma foto desfocada para representar isso:

Belo fim de tarde na estrada

ex. aquele pôr-do-sol que você jamais conseguirá registrar tamanha beleza e não há nada mais importante no mundo do que apreciá-lo!

Direitos Humanos

+ Ver comentários

"E o que o ser humano mais aspira é tornar-se ser humano."
Clarice Lispector

Na oportunidade de divulgar três grandes eventos que ocorrerão na semana que vem aqui no Espírito Santo, preciso dizer que acredito, de todo coração, que não existe nada mais importante do que discutir Direitos Humanos. Disseminar uma cultura de respeito, tolerância e compreensão em plena diversidade. E a nossa essência é só uma (*na yoga, eu diria luz e energia :) - a dignidade humana. Essa é uma condição comum que torna esse assunto basilar, em especial, no que tange a tutela estatal para promover o mínimo indispensável para uma vida digna a cada ser humano - que não esteja sujeita à arbítrios do Estado e violações. Nesse processo, vale ressaltar que é elementar nos vermos como agentes dessa transformação - afinal, sob uma perspectiva cidadã, o Estado somos nós. Isso representa uma construção conjunta e por isso, repito: penso que não existe nada mais importante do que discutirmos e nos engajarmos na defesa dos Direitos Humanos. Por tal razão acredito que o "blablabla" no Direito tenha sim muito valor - devemos tentar pesquisar e desenvolver o âmbito científico no Direito sempre de acordo com essa perspectiva construtiva!


Em tempo de férias?

+ Ver comentários

Fim de ano. Volta às aulas. Mas até que estar em sala de aula é apenas um pequeno parentêses na minha grande rotina de UFES e nos afazeres da vida acadêmica, que não param nunca - pelo contrário, tarefas e reuniões só se multiplicam. Todavia, nesses cinco meses sem aula, que muitos chamaram de férias, pude reavaliar o que gostaria de fazer com o meu tempo precioso: "o que realmente queria fazer, mas nunca tenho tempo?". A resposta foi poder ler livros além do Direito, poder estudar francês, espanhol, ir na academia sem enrolar tanto, fazer terapia, yoga, acupuntura... E a vida de viagens foi beneficiada: pude viajar (e muito) para os fins acadêmicos e compromissos de família. Então, foi um tempo bastante privilegiado para mim! É claro que sempre gostaríamos de fazer mais e o tempo nunca parece suficiente para realizar todos os nossos desejos, mas...

Não vejo a hora de regularizar a rotina com o ritmo normal de "sala de aula" - espero que o atraso do semestre 2012/2 deixe logo de ser uma pendência!


O que gosto de fazer

+ Ver comentários
Apresentação de Artigos na Candido Mendes

O video acima expõe aspectos muito pertinentes no que costumamos abordar como "sucesso", sob o viés da realização. No sentido de fazer o que se gosta e isso simplesmente prosperar. No meu caso, é escrever e falar. Pesquiso o que considero interessante, escrevo e compartilho minhas conclusões sobre isso - para mim, no momento não tem nada que eu considere melhor. É curioso ver quantas coisas fiz em 2012 em decorrência disso!

The world as it isn't

+ Ver comentários

Esse video é perfeito para demonstrar as novas reflexões que ando vivendo. De vez em quando, acho que preciso de um "Wrongologist" para trabalhar o medo de errar :P

Fallor ego sum, de St. Agostinho, expõe que isso é instrínseco a nós, para não termos medo de sermos humanos. A verdade é que: The miracle of your mind isn’t that you can see the world as it is. It’s that you can see the world as it isn’t. (Kathryn Schulz)

Eagerness

+ Ver comentários

How Will You Measure Your Life?

One of the theories that gives great insight on the first question—how to be sure we find happiness in our careers—is from Frederick Herzberg, who asserts that the powerful motivator in our lives isn’t money; it’s the opportunity to learn, grow in responsibilities, contribute to others, and be recognized for achievements.

I got this insight when I was asked to teach a class on humility at Harvard College. I asked all the students to describe the most humble person they knew. One characteristic of these humble people stood out: They had a high level of self-esteem. They knew who they were, and they felt good about who they were. We also decided that humility was defined not by self-deprecating behavior or attitudes but by the esteem with which you regard others. (...) If your attitude is that only smarter people have something to teach you, your learning opportunities will be very limited. But if you have a humble eagerness to learn something from everybody, your learning opportunities will be unlimited. Generally, you can be humble only if you feel really good about yourself—and you want to help those around you feel really good about themselves, too. When we see people acting in an abusive, arrogant, or demeaning manner toward others, their behavior almost always is a symptom of their lack of self-esteem. They need to put someone else down to feel good about themselves.

Arte, museus e curiosidades

+ Ver comentários
Assembleia - Palácio da República

Preciso admitir que esse ano visitei... muitos museus!!! Tive muitas oportunidades de explorar culturalmente o mundo por aí e nisso fiz ótimas descobertas. Uma das mais curiosas foi sobre a "Marianne", aquela que é o símbolo da "République française et représente par là-même les valeurs républicaines". Suscito esse caso em específico pela alegria de ter recebido um cartão francês lindo da minha grande amiga @betty2boop, com um dos meus quadros prediletos "La liberté guidant le peuple", de Delacroix, que agora compõe o painel de lembranças preciosas no meu novo quarto.

"Sounderground"

+ Ver comentários
"Sounderground"

Uma das coisas acho muito interessante nas grandes metrópoles é poder apreciar a música em qualquer hora a qualquer lugar. Em São Paulo, uma das iniciativas que contribui com isso é o Red Bull Sounderground, que proporciona a apresentação gratuita de ótimos artistas em lugares inusitados, como algumas estações de metrô. Quando vi pela primeira vez, foi impressionante - fiquei tão admirada com a apresentação que até a emissora de televisão local chegou a me entrevistar me perguntando o que eu achava sobre essas iniciativas! Ao meu ver, a mobilização das pessoas para se sensibilizar com a música e poder ter acesso à cultura é singela, uma oportunidade que muitos não tem.

Sala São Paulo

+ Ver comentários
Sala São Paulo

Semana passada, quando estava em SP, fiz questão de visitar um dos locais mais preciosos de todo o Brasil: A Sala São Paulo, lar da OSESP. Desde a primeira vez que fui assistir uma apresentação lá, fiquei encantada!!! Um privilégio musical, definitivamente. Só que agora, pude conhecer a fundo a história desse local, apreciá-lo com calma e tirar fotos melhores!!! :P

A Sala São Paulo foi inaugurada em 1999, na antiga sede da Estrada de Ferro Sorocabana (de 1938), patrimônio histórico de São Paulo. A Antiga estação de trens, ainda em funcionamento, guarda a memória dos tempos áureos da política cafeeira e das transformações que a cidade sofreu desde o princípio do século passado.

Dia dos professores

+ Ver comentários

Gostaria de expor breves considerações sobre a vocação de Professor. Não importa em qual âmbito, há uma grande responsabilidade: Ensinar e inspirar. Não é apenas transpassar o que está escrito nos livros, mas sim engajar o aluno a dialogar com o conhecimento. É compartilhar sabedoria e, ao mesmo tempo, apenas indicar os caminhos mais profícuos que o aluno pode desbravar. Sobretudo, é motivar um estudante a querer aprender sempre mais. Bons professores são um marco essencial na vida dos seus alunos, especialmente quando despertam inspiração. É isso que torna essa vocação tão importante! :)

Paz de espírito?

+ Ver comentários

Por um instante, neste conto.

O ovo é uma coisa suspensa. Nunca pousou. Quando pousa, não foi ele quem pousou. Foi uma coisa que ficou embaixo do ovo. – Olho o ovo na cozinha com atenção superficial para não quebrá-lo. Tomo o maior cuidado de não entendê-lo. Sendo impossível entendê-lo, sei que se eu o entender é porque estou errando. Entender é a prova do erro. Entendê-lo não é o modo de vê-lo. – Jamais pensar no ovo é um modo de tê-lo visto. – Será que sei do ovo? É quase certo que sei. Assim: existo, logo sei. – O que eu não sei do ovo é o que realmente importa. O que eu não sei do ovo me dá o ovo propriamente dito. – A Lua é habitada por ovos. (...)

Por devoção ao ovo, eu o esqueci. Meu interesseiro esquecimento. Pois o ovo é um equívoco. Diante de minha adoração possessiva ele poderia retrair-se e nunca mais voltar. Mas se ele for esquecido. Mas se eu fizer apenas o sacrifício de viver apenas a minha vida e de esquecê-lo. Se o ovo for impossível. Então, livre, delicado, sem mensagem alguma para mim talvez uma vez ainda ele se locomova do espaço até essa janela que desde sempre deixei aberta. E de madrugada baixe do nosso edifício. Sereno até a cozinha. Iluminado-a de minha palidez.

-- Clarice Lispector

Pianos lindos

+ Ver comentários

Celebrando o dia das crianças, relembro o momento de maior alegria genuína do ano: Ser uma criança no The Big Piano!

E, me dei conta que nunca havia feito um post aqui no blog para falar especificamente dos pianos lindos que pude apreciar lá em NY. Aproveitando que estou com saudade de lá, sonhando com o Central Park no verão e visitas ao MoMA, eis dois momentos singelos de preciosidade musical em New York:


Carnegie Hall


Julliard

Se já são lindos de se ver, imagina de se ouvir... ;)