Filmes do início de 2013

+ Ver comentários

Mesmo sem tempo, tenho assistido muitos bons filmes: aos sábados de manhã, às vezes não consigo descansar tanto quanto quero, mas aí acordando, prefiro começar bem o final de semana assistindo algum "filme de menininha" - nos últimos dois casos, me surpreendi muito e essa é a motivação de eu escrever esse post! Demorei, mas finalmente assisti Becoming Jane - e não teve filme melhor para mim!


O filme conta as aspirações de uma mente livre em um contexto de perspectivas muito restritas - em especial, nas limitações de todos os amores impossíveis, fadados a não (poder) ser; vemos a vida como ela é, ao mesmo tempo que vemos Jane Austen sofrendo poeticamente - "oh, you won't marry without affection and you can't marry with affection!":

- Will all your stories have happy endings?
- My characters will have,
after a little bit of trouble,
all that they desire.
- How does the story begin?
- Badly.
- And then?
- It gets worse.
With, I hope, some humour.
- How does it end?
- They both make triumphant, happy endings.
- Brilliant marriages?
- Incandescent marriages
to very rich men.
But no such happy marriage
could now teach the admiring multitude
what connubial felicity really was.

E sim, inspirada por esse, eis a lista de todos os outros filmes bons de 2013!!!

Insouciant

+ Ver comentários

"Até agora, nossa investigação sobre a felicidade não nos ensinou quase nada que já não pertença ao conhecimento comum. E, mesmo que passemos dela para o problema de saber por que é tão difícil para o homem ser feliz, parece que não há maior perspectiva de aprender algo novo. Já demos a resposta pela indicação das três fontes de que nosso sofrimento provém: o poder superior da natureza, a fragilidade de nossos próprios corpos e a inadequação das regras que procuram ajustar os relacionamentos mútuos dos seres humanos na família, no Estado e na sociedade." (FREUD, 1930 [1929]/1997, p.37)


Felicidade de verdade, para mim, é naquele instante onde nada mais importa, sans souci: