Filosofia da semana

+ Ver comentários

Vi uma sessão de quotes da Maya Angelou que se enquadra bem como filosofia da semana para mim:

If you don't like something, change it. If you can't change it, change your attitude. Don't complain.

Sou uma pessoa de mimimi e por isso mesmo reconheço que ficar reclamando, muitas vezes, é uma perda de tempo - enquanto poderíamos simplesmente fazer o que precisamos e pronto - "Nothing will work unless you do".

Not knowing

+ Ver comentários

I want you to feel good about what you are doing but you'll never know. That's the job: Living. And not knowing.
Toda segunda-feira de Mad Men é uma realização a parte. Poderia já criar uma tag de Mad Men aqui de tanto que gosto de escrever sobre isso no blog - e em especial no twitter. É impressionante como cada episódio se supera ou consegue ter uma abordagem tão única. Mas o de hoje... o sentimento é de completude. A série concretizou - em todo contexto, em todos os olhares, em todas as palavras sutis e inclusive na trilha sonora - o início do fim de uma era. Essa era que começou aqui, o outro ponto tão marcante na série. A premissa era: "We're flawed because we want so much more. We're ruined because we get these things and wish for what we had". Mas e aí? Para onde partirmos? A vida segue - e é esse desenvolvimento (e porque não crescimento) que Mad Men mostra: Viver e não saber, entre aspirações e falhas, erro e tentativa. A gente nunca sabe precisamente - não existe uma plenitude que resolva todas as nossas inquietudes - mas existem sim momentos que, quando estamos bem, simplesmente sabemos. Sabemos que é aquilo e pronto, sem second guessing. No meio tempo, precisamos lidar com todas as incertezas e indecisões da vida.


Hoje possivelmente poderia ser a series finale. Finalmente a série alcançou o ponto de equilíbrio chave entre Don e Peggy, de igual para igual mesmo em um mundo machista e desigual (lindo, lindo, quase chorei! "Show me how you think - do it out loud") e todos os demais personagens também tiveram desenvolvimentos relevantes. Mas ainda tem muito mais por vir. (! :)

Pensamento positivo

+ Ver comentários

O Brasil ainda hoje é menos conhecido e valorizado do que merece. É quase tão grande como a China, mas é uma democracia. O Brasil é quase três vezes maior que a Índia, tem quase o mesmo número de etnias e de religiões, mas vive em paz interna e em paz com os países limítrofes. É quatro vezes maior que a zona do euro, mas tem um único governo e fala uma única língua. O Brasil é o país onde há mais católicos, mas onde a população vive da forma mais pagã. O Brasil é o único país no mundo onde a cultura ainda mantém características de solidariedade, sensualidade, alegria e receptividade.
Entre tantos dilemas velados e desafios, eu ainda gosto de acreditar nisso - mas é um pensamento bem positivo, não? Em todo caso: sinto falta de brasileiros querendo ser brasileiros.

Flores que comprei no sinal de alguém que ficou feliz só por eu ter dado atenção a ele

Coisas que aprendi viajando

+ Ver comentários

Faz mais de seis meses que gostaria de terminar esse texto, sempre em momentos que estou entre conexões aéreas. Hoje, esperando meu voo para Madrid, finalizo esses escritos. Na verdade, reza a lenda que um dia, quem sabe, farei (mais um) blog só para contar essas aventuras de viagem! Me inspirei a escrever minhas próprias dicas depois que vi esse texto: 18 lessons learned from traveling the world. São lições subjetivas - enquanto as minhas serão, em boa parte, pragmáticas e óbvias; só vi o valor delas errando e aprendendo.


Vamos às dicas:

  • Less is more - essa é uma regra que eu sofro para tentar cumprir; raramente precisamos de 100% das coisas que colocamos na mala.
  • O ideal é viajar com uma bagagem de costas, apenas com coisas utilitárias, e uma boa mala pequena. Insisto levar bolsas grandes de carregar, mas essa não é a ideia mais prática. Se você precisa de uma mala grande, que seja uma mala qualquer: porque ela vai ser machucada no caminho de qualquer forma - pelo menos você minimiza o prejuízo se ela é barata. E um outro detalhe importante: tire foto da mala que será embarcada e identifique-a (eu não acreditava nisso até ter uma bagagem extraviada e ver existiam mil malas extraviadas iguais a minha).
  • Check-in mobile: não há coisa melhor, em termos de praticidade, em especial sem bagagem para despachar. Mas apenas faça esse check-in se tiver confiança que não vai perder a reserva do voo, né! Caso seja um check-in em cima da hora, a única coisa que eu tenho a dizer é: corra. Entre correndo para o embarque que ainda pode dar tempo.
  • Só faço check-in no totem se é vantagem - pressa, sem malas ou com fila especial para despacho, senão tanto faz.
  • Prefira poltronas do fim do avião, dizem que são mais seguras em caso de acidente. Em vôo internacional é ótimo, porque você embarca primeiro. Em vôos nacionais acabo escolhendo poltronas da frente também - e valorizo espaço. Estou convicta que vale a pena escolher a poltrona de emergência em vôos internacionais, enquanto não tenho o privilégio de classe executiva...
  • É muito importante ter as informações principais em mãos e impressas; os ônibus interpaíses na Europa, por exemplo, só aceitam o comprovante em papel e fim de papo. Leve xerox também dos documentos pessoais mais relevantes, bem como dos cartões de crédito.


  • Pontualidade para trens: significa chegar com exatos cinco minutos de antecedência, nada mais nem nada menos. Chegar adiantado não é pontualidade.
  • Se você está pegando trem (TGV, AVE) pela primeira vez em determinado lugar, faça um reconhecimento de área antes. Tentar encontrar o local certo da plataforma com o tempo curto ou logo na hora andando com as malas é um stress que pode ser evitado!
  • Muita atenção com as passagens de conexão!!! Verifique sempre se seu bilhete está com lugar marcado - se apenas está escrito gate, senta que lá vem enrolação de overbooking...
  • Filas: não precisa esperar em pé o embarque, mas também não se distraia muito no meio tempo - o embarque pode ser muito mais breve e eficiente que você imaginava. E ah! Hoje a fila de prioridade costuma ser maior do que a normal, então...
  • Planeje seus horários + trânsito: Nunca compre passagens, por exemplo, saindo do Rio de Janeiro em uma sexta-feira à noite.
  • Ao meu ver, os horários mais lindos de se voar são 11h/12h (ver o sol radiante brilhando no oceano azul) e 17h/18h (viajar no fim de tarde é sempre maravilhoso para ver o pôr-do-sol e, quem sabe, o luar e as estrelas! Nada melhor do que viajar você e a imensidão de céu escuro e estrelas).
  • Menos conexões: facilite sua vida. Lembre-se que mais conexões significa também maior complexidade para o trâmite da sua mala, que pode se perder por aí.
  • Antecipe seu voo quando oferecerem a oportunidade!
  • Não fique à mercê da sorte: planeje todos os detalhes, não deixe para verificar aspectos importantes em cima da hora e esteja inclusive preparado para imprevistos! Mas a frase mais bonitinha que eu já ouvi de uma criança no embarque foi: “poxa, mamãe, nem deu para ouvirmos nosso nome no blablabla last call!” :P
  • Fique de olho no câmbio e não hesite em comprar quando o ver caindo; para levar valores grandes em espécie, recomendo a transação no Banco do Brasil, caso contrário, sai praticamente o mesmo que nas casas de câmbio/cartões de débito internacional. E cuidado com as surpresas no cartão de crédito!
  • Conheça os termos da sua reserva, visto, passaporte e fronteiras no seu trajeto.
  • Escolha sempre se hospedar perto de uma estação de metrô!
  • Faça uma análise minuciosa de custo benefício entre viajar de carro x trem x ônibus x avião: nem sempre o mais barato é melhor. Experiência própria: as viagens de ônibus que fiz pela Europa foram bem peculiares...
  • Aconteceu algum problema? Anote todos os fatos e seja firme em clamar por seus direitos. Reza a lenda que eu tenho um processo a submeter contra a KLM/Air France: "Em que pese os dissabores que envolvem uma disputa judicial, devemo-nos sentir encorajados a lutar por nossos direitos, pois a indenização mencionada possui uma dupla função: reparatória e pedagógica - sendo o objetivo desta última punir o mau prestador de serviços para que ele se adeque e passe a prestar serviços de qualidade".
  • Conheça um mínimo do idioma para onde está indo viajar: "There’s also nothing like surprising people by speaking their language".
  • E, por último mas não menos importante, não recaia no chato e convencional. Descubra o que é Wanderlust! "Everyone’s journey is their own. Do what you want, when you want, and for how long you want. They will change your life."


    obs. e consegui terminar o post no momento certo para embarcar! Hasta la vista!