A vida privilegiada de Gilmore Girls

+ Ver comentários

Fidel morreu e Gilmore Girls teve um closure. Fim de uma era.

Gilmore Girls é uma boa série, convenhamos. Os diálogos são entregues de maneira meio quadrada, mas é o estilo dos anos 2000. É bem pensada (senso de humor, boas referências, passagens interessantes) e é significativa para o universo feminino. É sobre mulheres, feita por mulheres, para mulheres (é "relatable", todo mundo já passou por aquelas situações, conhece uma Lorelai, etc). Contudo, só é possível explorar os dramas existenciais, familiares e amorosos pois:

  • são herdeiras (a conversa acaba aqui, não?! sei, não é fácil ser herdeira, renego minhas 'origens', mimimi)

  • dinheiro não é um problema;

  • pessoas são felizes no frio/neve como se nada estivesse acontecendo;

  • vamos repetir o segundo ponto? quando você pode viajar de lá para cá, sem emprego fixo, se dedicar a projetos especulativos... a vida está boa demais;

  • são saudáveis, lindas, bem vestidas, sem preocupações da vida mundana;

  • uma pessoa pode se dar o luxo de "não ter raízes"; pode escolher não assumir as obrigações (e os problemas) da vida "adulta";

  • uma pessoa aceita relacionamentos livres, ao lado de um plaboy que faz extravaganças, surpresas e curte a vida, voltando ao ponto 2;

  • uma pessoa pode se dar o luxo de fazer uma jornada tal qual em "wild", considerando a ironia que isso é (e acho que a série tentou mostrar esse lado, não?)

  • uma pessoa pode se dedicar ao que quer, tranquila, em uma mansão;

  • a vida só gira em torno delas; com pai e avós ricos, Rory nunca pensou fazer algo mais substancial não? Em prol dos outros?


  • Quão surreal tudo isso é para meros mortais? Até que ponto podemos ter isso como um modelo, uma "independência" privilegiada?

    ps. E todos nós sabíamos que ia acabar assim, não? Como se fosse "a ordem natural das coisas" ou "a vida sendo um grande cliché" (porque às vezes é mesmo, e eu conheço Gilmore Girls na vida real). Particularmente gostei do fim para a Emily Gilmore: ser uma senhora feliz.