Where love and dreams collide

+ Ver comentários

La La Land parece ser um musical feliz:



E não é. Um filme sobre sonhos e amor não tem um final feliz?! Assim como a vida por vezes é, La La Land é "bittersweet". Demonstra como pequenos 'acasos' acontecem e que somos nós que decidimos a maneira de lidar com cada um. Há quem diga que o acaso não existe, mas não é o ato de abraçar uma série de combinações - aleatórias - de eventos que forma o nosso "destino"? E não somos nós, no final das contas, responsáveis por isso?

O que dói é termos a dimensão que toda escolha nesse caminho repleto de acasos também implica renúncias. Tudo que deixamos de viver, todas as palavras não ditas, todos as encruzilhadas não resolvidas. O quanto custa o seu sonho? O que você está disposto a abrir mão para conquistar o que almeja? Você desistiria no meio do caminho por não conseguir dar conta de todo o esforço que um sonho exige? Você se contentaria em escolher a via simplória e fácil, ao invés de persistir no sofrimento de um panorama incerto?

(La La Land) is a story of artistic passion, and how easy it is to get derailed from your dream. Sometimes it takes another person to push you back on to the tracks to find it again.


Dói o filme mostrar o "E se". E se você tivesse escolhido lidar com o acaso diferentemente? Seria possível, mas isso implicaria em outras abnegações. A vida "como ela é" nos mostra que não há resposta entre A e B, ou isto ou aquilo; simplesmente é o que você escolheu - e tudo bem. Que certas coisas não são para ser. É o que eu depreendo da cena final do filme, por mais triste que seja. Li algumas análises que relacionam La La Land com vários outros clássicos de Hollywood, mas preciso dizer que o fim do filme (propositalmente ou não) tem um tom muito grande de "The Bridges of Madison County". Eu jamais vou me recuperar dessa cena e La La Land reviveu isso com leveza:



E o esforço que a dedicação a um amor exige? A coragem de encontrar o balanço (com transigências dos dois lados) entre se empenhar aos nossos sonhos e a alguém? Que seja ao parceiro, a um filho, a uma ou mais pessoas importantes na nossa vida? Quantos de nós conseguimos exercer esse equilíbrio diariamente?

It’s not so much another day in the sun, as the characters sing in that opening number, but the dreams of the night before, the ones we wake up and try to fulfill, that keep us dancing.

Os nossos sonhos nos movem, mas as pessoas que estão ao nosso lado também. Por fim, sonhos tem valor agregado quando outras pessoas fazem parte disso ou realizam um grande propósito juntas. Uma conquista solitária, por sua vez, preenche apenas o nosso egocentrismo.


PS musical: Hoje o dia já estava 'pianisticamente' nostálgico para mim, mas o que é isso de Ryan Gosling se tornar um fabuloso pianista de jazz em 3 meses?!



PS artístico: Não sei explicar, mas CADA cena nesse filme foi cuidadosamente pensada em termos de cores e composição. Tudo é feito para parecer uma pintura, uma harmonia ideal de elementos. Sei que todo filme tem essa preocupação, mas nesse ficou muito explícito.

PS 3: Paris e sua representação idealizada como "o local onde sonhos são realizados". #vemparaParisrealizarseusonhotambem
A verdade é que isso pode ser em qualquer lugar do mundo, mas que sim, Paris é uma cidade inspiradora. O cinema parisiense estava lotado para nos lembrar disso, dessa nossa 'responsabilidade' culturalmente implícita - "você, que tem o privilégio de viver nessa cidade, está fazendo jus? Está realizando os seus sonhos?"